Vale a Pena Investir no Tesouro Direto? Veja 8 Motivos que Mostram que Sim!

Você já investe em títulos públicos? Seja sua resposta positiva ou negativa, neste artigo você verá 8 motivos que mostram que vale a pena investir no tesouro direto.

vale-a-pena-investir-no-tesouro-direto

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é o programa do Tesouro Nacional para vender títulos públicos federais para pessoas físicas. Tudo é feito online e há pouca burocracia envolvida.

Antes do início do programa, o investimento em títulos públicos por pessoas físicas só podia ser realizado indiretamente, por meio da compra de cotas de fundos de investimento. Porém, investimentos desse tipo sempre possuem custos mais altos.

Com o surgimento do Tesouro Direto em 2002, as pessoas físicas passaram a ter acesso direto ao investimento em títulos públicos, que costuma oferecer ótima rentabilidade e baixo risco.

Continue lendo esse artigo e você verá que:

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe o conteúdo e mostre para mais pessoas os motivos pelos quais vale a pena investir no Tesouro Direto.

1 – Tesouro Direto é o Investimento de Menor Risco na Economia

vale-a-pena-investir-no-tesouro-direto-2017

Os títulos públicos são os investimentos de menor risco da economia. Eles são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, independente do valor que você investiu.

O risco de calote dos títulos públicos é muito baixo. Então a chance de você não receber o dinheiro depois é muito pequena. Isso porque o governo tem uma série de mecanismos para não deixar de pagar a dívida pública, como aumento de impostos, impressão de moeda ou mesmo a emissão de mais títulos públicos.

E se o governo deixasse de pagar os títulos públicos, o que ocorreria é uma situação de “falência”. Como isso geraria problemas gravíssimos para o país em todos os setores, na prática as pessoas fariam de tudo para não chegar a esse ponto. Assim, a chance de acontecer um calote é baixíssima.

É bom lembrar aqui que a garantia do Garantidor de Crédito (FGC) é de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. O FGC é o que garante aplicações na caderneta de poupança, certificado de depósito bancário (CDB), letras de crédito imobiliário (LCI) e letras de crédito do agronegócio (LCA).

Isso mesmo… os títulos públicos tem um risco menor do que a caderneta de poupança!
O vídeo a seguir ilustra melhor esse ponto:

2 – Custos Mais Baixos do Que Outros Investimentos

Para se investir no Tesouro Direto há alguns custos. Mesmo assim, os custos são bem inferiores se comparados com aplicações como fundos de investimento por exemplo.

Para você ter uma ideia é comum fundos de investimento de renda fixa cobrarem 2% de taxa de administração. Além disso muitos fundos cobram taxas de performance, o que deixa a sua rentabilidade real menor ainda.

Já no Tesouro Direto os custos para investir são bem menores. Depois que você compra um título público, ele é registrado em seu CPF num ambiente seguro da BM&FBovespa. E para os serviços prestados, a BM&FBovespa cobra uma taxa de custódia de 0,3% ao ano sobre o valor dos títulos em carteira.

Essa taxa é semelhante à taxa de administração cobrada pelos fundos de investimento, mas o percentual é bem mais baixo do que é cobrado pelo grandes bancos.

Há também uma taxa cobrada pela instituição financeira que é responsável por intermediar suas transações com o Tesouro Direto. Essa instituição, que pode ser um banco ou uma corretora, é chamada de agente de custódia.

Mas não se precisa se preocupar tanto com a taxa do agente de custódia porque existem instituições financeiras que isentam você dessa taxa. Você pode ver no próprio site do Tesouro Nacional as instituições habilitadas a operar e a taxa cobrada por cada uma delas.

3 – Rentabilidade dos Títulos Públicos

Em geral, os títulos públicos são excelentes opções de investimento e possuem uma ótima rentabilidade. Costumam render mais do que fundos de renda fixa oferecidos pelos grandes bancos, mais do que a maioria dos CDBs, e ganham disparado da caderneta de poupança.

Porém, como expliquei melhor no artigo que falo sobre os tipos de títulos públicos, é importante que você saiba escolher um título que irá se adequar ao seu perfil e aos objetivos que possui com aquele investimento.

Se você ainda não sabe bem quando precisará do dinheiro e tem aversão à variações de preço, o ideal é que invista no Tesouro Selic pois ele sempre tem uma variação de preço positiva, acompanhando o movimento da taxa Selic.

O Tesouro Selic é o título mais conservador do Tesouro Direto. Ele também é o mais indicado se você está começando agora e ainda não entende bem às oscilações de preço dos outros títulos.

No próximo item você verá por meio de um exemplo prático como o Tesouro Selic pode ter um rendimento superior aos investimentos de renda fixa mais tradicionais.

4 – Vale a Pena Investir no Tesouro Direto Mesmo Após Pagar os Tributos

tesouro-direto-vale-a-pena

Os tributos cobrados no Tesouro Direto são:

  • Imposto sobre operações financeiras (IOF)
  • Imposto de Renda (IR)

No caso do IOF, a cobrança só ocorre caso o tempo do investimento seja inferior a 30 dias. Então se você ficar com um título do Tesouro Direto por pelo menos 30 dias, você não irá pagar nada de IOF.

O imposto de renda cobrado no tesouro direto segue a mesma tabela que outras aplicações tributadas de renda fixa, como os CDBs por exemplo. A alíquota do IR é regressiva de acordo com o prazo do investimento, então o imposto vai diminuindo ao longo do tempo:

  • Até 180 dias é cobrado 22,5% de Imposto de Renda (IR) sobre o rendimento.
  • De 181 dias até 360 dias é cobrado 20% de IR sobre o rendimento.
  • De 361 dias até 720 dias é cobrado 17,5% de IR sobre o rendimento.
  • De 721 dias em diante é cobrado 15% de IR sobre o rendimento.

Mas agora você pode estar se perguntando:

“E por que motivo irei investir em títulos públicos e pagar imposto de renda se posso investir em aplicações de renda fixa como a poupança ou a LCI que são isentas dessa cobrança?”

Para responder essa questão, vamos fazer algumas contas para encontrar a rentabilidade líquida desses investimentos. Como premissa aqui, vamos considerar os dados da data em que escrevo este artigo, 11/10/2016.

Nessa simulação, vamos considerar que foram investidos R$ 100 mil durante 12 meses. Para efeito de comparação das rentabilidades, os investimentos que irei utilizar nessa simulação são:

  • Caderneta de Poupança
  • CDB com rendimento de 95% do *CDI
  • LCI com rendimento de 80% do *CDI
  • Tesouro Selic (título público mais conservador)

*CDI é a sigla para “Certificado de Depósito Interbancário”. O CDI é um título emitido pelos bancos que é usado para lastrear a transferência de recursos entre eles.

investir-tesouro-direto-rentabilidade

Passados 12 meses, o resultado dessa simulação se encontra na tabela abaixo:

investir-tesouro-direto-simulador

Tenha em mente que o rendimento real (que é o importante) é o rendimento após descontar a inflação. No período da simulação a inflação estimada é de 5,07%.

Como você pode ver na tabela, o rendimento real da poupança é o pior de todos, de apenas 3,34%.

Já o rendimento real do Tesouro Selic é de 6,02%, o que representa um rendimento 80% superior ao da poupança. E isso já descontado o imposto de renda retido na fonte, que para esse período de investimento é de 17,5% sobre o lucro.

O rendimento real do CDB e da LCI são mais próximos aos do Tesouro Selic, mas ainda rendem um pouco menos.

Essa simulação ilustra bem o porquê do Tesouro Selic ser um investimento tão eficiente. Além de ser um investimento mais seguro que as opções apresentadas, também possui um rendimento superior na grande maioria dos casos.

 

Está gostando desse artigo e está entendendo por que realmente vale a pena investir no Tesouro Direto? Então cadastre seu email aqui embaixo e dê um passo definitivo para melhorar sua vida financeira.

 

5 – Vale a Pena Investir no Tesouro Direto Mesmo Que Você Tenha Pouco Dinheiro

Mesmo se você tiver pouco dinheiro, vale a pena investir em títulos do Tesouro Direto. Com somente R$ 30,00 você já pode começar a investir.

Ao investir no tesouro direto você pode comprar frações de um título público, sendo o menor percentual o de 1% do valor do título, desde que o valor monetário seja superior a R$ 30.

Antes da existência do programa tesouro direto, alternativas de investimentos seguras e rentáveis eram bem mais restritas. Somente grandes investidores conseguiam ter acesso a elas.

Porém, atualmente pequenos investidores com pouco dinheiro para aplicar também podem ter uma excelente rentabilidade por meio do investimento em títulos públicos.

6 – Liquidez Diária Te Permite Sacar o Dinheiro Sempre Que Você Precisar

Um aspecto muito importante de investimentos financeiros é a liquidez, que pode ser definida como a facilidade com que esse investimento possa ser convertido em dinheiro.

Existem investimentos que só possuem liquidez no vencimento, ou seja, você aplica seu dinheiro e somente quando esse investimento vencer é que poderá resgatar seu dinheiro.

Já no caso do Tesouro Direto, os títulos possuem liquidez diária. Isso significa que se você quiser vender um título antes do vencimento, o Tesouro Nacional garante a recompra dos seus títulos todos os dias, a preços de mercado.

A liquidação dessa operação de venda ocorrerá no chamado D+1, ou seja, o dinheiro estará disponível na conta da instituição financeira que intermediou sua compra no primeiro dia útil seguinte ao dia da venda.

7 – Diversificação de Títulos – Ao Investir no Tesouro Direto Você Encontrará um Título Que Atende Seus Objetivos

Independente de qual seja seu perfil de investidor e de seus objetivos financeiros, com a variedade de títulos públicos disponíveis no tesouro direto você encontrará pelo menos um título que atenda suas necessidades.

Você pode montar um planejamento com seus investimentos em títulos públicos levando em consideração o montante que você investe, quando precisará utilizar o dinheiro, quais os objetivos de cada investimento e mesmo a conjuntura da economia para determinar se é ou não uma boa hora para se investir num determinado título.

As opções oferecidas no tesouro direto podem ser resumidas de acordo com:

  • Prazos e vencimentos: você encontra desde títulos que vencem em pouco tempo até títulos mais longos, com vencimento daqui mais de 30 anos. Isso permite que você adeque seus investimentos em títulos públicos às suas necessidades financeiras;
  • Rentabilidade dos títulos: você pode escolher entre títulos indexados à taxa Selic (Tesouro Selic), indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais) ou títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com juros semestrais);
  • Fluxos de pagamento: para que você escolha se deseja receber o valor total do título somente no vencimento (Tesouro Selic, Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado) ou se deseja receber cupons semestrais de juros (Tesouro IPCA+ com juros semestrais e Tesouro Prefixado com juros semestrais).
  • Venda antecipada: caso precise vender algum título antes do vencimento, você pode.

O Tesouro Nacional irá pagar o valor de mercado do título vendido. Na prática, isso significa que, com exceção do Tesouro Selic, caso você venda os outros títulos antes do vencimento, sua rentabilidade poderá ser maior ou menor que a contratada no momento da compra, em virtude da variação dos juros.

Então caso ainda não tenha conhecimento suficiente e uma estratégia que comprovadamente funcione para realizar esse tipo de operação, é melhor comprar o Tesouro Selic ou então levar os demais títulos até o vencimento.

Se você deseja se aprofundar e quer saber qual o melhor momento para usar os diferentes tipos de títulos públicos oferecidos no programa Tesouro Direto, no fim desse artigo te indico um método que irá te ensinar de forma detalhada como turbinar seus ganhos no Tesouro Direto.

Porém, com exceção do Tesouro Selic, nos outros títulos se você vender antes do vencimento, o Tesouro Nacional irá pagar o valor de mercado e a rentabilidade poderá ser maior ou menor que a definida no momento da compra.

Então caso não tenha conhecimento suficiente para isso ainda, é melhor usar esse tipo de título apenas se não for vendê-lo antes do vencimento.

8 – Facilidade Para Aplicar no Tesouro Direto

Além de todas as vantagens citadas no artigo, saiba que é bem fácil começar a investir em títulos públicos.

Veja esse passo a passo de como aplicar no tesouro direto. Você pode seguir todos os passos e investir no tesouro direto sem nem mesmo sair de casa, já que todas as operações poderem ser realizadas pela internet.

Depois que entender melhor o funcionamento dos títulos e como escolher o melhor para cada situação, em poucos minutos conseguirá escolher o título que irá investir. Sem burocracias e sem precisar falar com ninguém do banco ou da corretora.

Agora que você já viu que vale a pena investir no Tesouro Direto, não perca tempo e comece a investir agora mesmo!

Como prometido, sugiro que você conheça o método que mostra como ter retornos maiores investindo em títulos do Tesouro Direto. Esse método gerou retornos acima de 20% ao ano nos últimos 5 anos.

Se você gostou desse artigo, peço que compartilhe com seus amigos, familiares e pessoas queridas. Esse conteúdo pode mudar para melhor a vida de muita gente. Me ajude a difundi-lo para que cada vez mais e mais pessoas conheçam os benefícios do tesouro direto e deixem de cair nas armadilhas dos bancos ou até mesmo de deixar seu dinheiro em aplicações como a poupança.

Qualquer dúvida, deixe seu comentário abaixo.